sexta-feira, 27 de maio de 2011

Apreseção Resumo


link no youtube -
 

RELATORIO DE ATIVIDADES DO MOVIMENTO

Como todo o Movimento Popular que enfrenta o poder político subsidiado pelo poder econômico, os resultados, aparentemente, são pequenos. Principalmente  quando a própria imprensa é favorável a manter as pessoas mal informadas.

O Movimento, desde a sua origem e principalmente em 2007, sempre teve o boicote da imprensa e somente o conseguiu vencer no dia da audiência pública do EIA RIMA da ampliação do Leite Lopes, com uma magistral manifestação cidadã dos movimentos populares. Mesmo uma manifestação anterior ocorrida no próprio Leite Lopes, em comemorações ao dia 1º de maio, com mais de 300 manifestantes, só teve a cobertura da  TV Record.  Em outra  manifestação de rua, na Praça XV, foram coletadas cerca de 500 assinaturas num só abaixo assinado. A cobertura da imprensa foi um zero redondo, mesmo tendo ocorrido perto da sede de um dos jornais da cidade.

Ainda em 2007, por causa do boicote da mídia, os debates da audiência travado com os “SLLQC”, na época liderados pelo Prefeito Gasparini com a denominação de Decola Ribeirão, foram estendidos para a internet., através de um lista de 200 e-mails e do blog Congonhas em Ribeirão Não..

Em 2008 fomos para as ruas, precisamente para a Avenida Mogiana, com o Bloco Unidos pelo Complexo Aeroporto participamos do Carnaval de nossa cidade, onde a temática foi o puxadinho da ampliação e sua respectiva expulsão de moradores.

Quando os SLLQC voltaram à carga, no final de 2010, novamente o boicote da imprensa foi total. O Movimento rompeu essa “apatia” quando participou de uma audiência pública da Comissão de Estudos Especiais sobre o Leite Lopes, na câmara Municipal. O que seria apenas um devaneio intelectual transformou-se numa manifestação popular e a imprensa foi obrigada a divulgar fotos com faixas contra a ampliação do aeroporto. Mas o véu do boicote permaneceu tentando esconder a realidade da oposição popular a esse insensato e ridículo puxadinho no Leite Lopes.

O Movimento reiniciou em 2010 as suas atividades com uma lista de e-mails gerada em 2007, com aproximadamente 200 endereços, dentre os quais todos os políticos e vereadores, assim como o de muitos defensores do puxadinho e as redações das mídias impressa, televisiva e radiofônica.

Hoje, essa lista já está perto de 10.000 assinantes e que recebem o nosso Informativo. Foi uma forma de contrabalancear o boicote midiático. Pelas manifestações feitas, os nossos objetivos estão sendo alcançados.

Em prosseguimento, foi organizado um blog (novoaeroportoribeiraopreto.blogspot.com).

Através dele entramos em contato  com outros movimentos interessados em proteger as comunidades dos puxadinhos – tecnologia muito em voga nos últimos tempos para esconder a incompetência das políticas publicas de transporte aeroviário – e que lutam por uma implantação de aeroportos viáveis técnica, urbanística, econômica e ambientalmente e com inclusão social (desapropriação e expulsão de moradores que atrapalham os puxadinhos não é inclusão social).

Brevemente teremos a implantação do Movimento Nacional dos Atingidos pelos Aeroportos.

Também no blog, através de abaixo-assinados eletrônicos e enquetes periódicas estabelecemos um canal interativo com os internautas leitores de nossa lista informativa.

Paralelamente a essas atividades o Movimento promove reuniões com grupos de pessoas, clubes, paróquias, comunidades e associações de moradores e  outras entidades, para desenvolver a contra-manipulação midiática através de palestras sob o tema “A Grande Mentira do Leite Lopes”. Cada apresentação gera um abaixo assinado especifico que é entregue quinzenalmente tanto na prefeitura municipal como no DAESP. Esta atitude é o que nós chamamos de prevenção ao Alzheimer do Poder Público. Se for entregue só um abaixo assinado com todas as assinaturas, o poder público engaveta e logo  esquece.

Recebendo periodicamente, manterá a memória viva e não esquecerá que existe quem não concorde com o puxadinho no Leite Lopes e que luta por um aeroporto digno para Ribeirão Preto e região.

Se alguma entidade quiser compartilhar essas palestras deverá se manifestar, disponibilizar local que logo será combinada a data e os equipamentos de data-show necessários  serão providenciados.

Abaixo fotos de algumas dessas palestras. Consideramos que transformamos cada um dos assistentes passivos em formadores de opinião  junto às suas comunidades e dessa forma, com esse trabalho de formiguinha, iremos reformulando a opinião publica que necessariamente irá exigir das autoridades e da imprensa uma atitude mais racional para o aeroporto de Ribeirão Preto e Região.