segunda-feira, 30 de abril de 2012

Prefeitura de Ribeirão Preto é conivente com pertubação da ordem pública



Eventos no Parque Permanente de Exposições

Ribeirão Rodeo Music e outros já ocorridos

. Poluição sonora na comunidade do entorno até o amanhecer
. Caos no trânsito local
. e maus tratos aos animais.

A Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, através da CODERP, é conivente com a perturbação da ordem pública e da tranqüilidade de toda uma comunidade, só para ganhar uns trocadinhos.

Rodeo com maus tratos aos animais ?

Se os eventos no Parque não respeitam os direitos ao sossego dos cidadãos , como vai respeitar o direito dos animais ?

E tudo isso com o aval do judiciário !!!

Vide abaixo fotos e o vídeo do caos provocado no trânsito, neste último sábado (dia 27/04/2012).

video video









domingo, 22 de abril de 2012

Aeroportos :Acidentes comumente ocorrem nas suas proximidades


21/04/2012 - 19h14 - Por UOL Notícias

Vídeo registra queda de avião bimotor em Jundiaí (SP)


Este vídeo colocado na internet registrou a queda de um avião bimotor na tarde desta sexta-feira (20), na cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo. A queda aconteceu na pastagem de uma escola agrícola, apenas a cerca de 300 metros da pista do aeroclube local. 

Pelo menos uma pessoa morreu carbonizada no acidente. 

sexta-feira, 20 de abril de 2012

zangam-se as comadres descobrem-se as verdades - parte 2



No último episódio desta série, ficou bem claro que a pretensa ampliação do Leite Lopes não tem nada, mas absolutamente nada, a ver com a necessidade de Ribeirão Preto em dispor de uma infraestrutura aeroportuária digna e adequada para suportar o desenvolvimento regional, mas sim como campanha eleitoreira. Apenas um marketing político de quem não tem política pública nenhuma a apresentar.

A necessidade de ratear os custos dessa ampliação, só para mostrar serviço, levou o governo do Estado a definir o quanto do nosso rico dinheirinho a prefeitura municipal deveria contribuir, não fazendo o serviço, mas pagando ao DAESP para ser feito. E com a vantagem de ser em prestações: 10,8 milhões em 2013 e 10,4 milhões em 2014. Total do pretendido desperdício de dinheiro público: 21,2 milhões de Reais!

A prefeitura, reagiu, afirmando que não era sua função ir além do sistema viário do entorno, ou seja, o desvio da Av. Thomaz Albert Whately. Depois, para não perder o embalo eleitoreiro, descobriu nova fórmula: ela mesma vai orçar e executar e chegou à seguinte conclusão, logo amplamente divulgada pela imprensa no dia 16/04/2012: pode fazer esse serviço pela módica quantia de 11,9 milhões de Reais. Fenomenal. Uma economia de quase 9 milhões de Reais! Quanta eficiência administrativa!

O que passou despercebido, no auge dos devaneios poéticos dos defensores incansáveis da ampliação do Leite Lopes, os SLLQC, foram os fatos objetivos:

Será que o DAESP não sabe fazer orçamentos de sistemas viários, se faz parte de uma Secretaria Estadual  cuja principal função é trabalhar nessa área?

Será que o DAESP está promovendo o superfaturamento de suas obras?

Talvez seja uma informação útil a ser fornecida ao Tribunal de Contas.

Mas existe uma segunda alternativa: a execução das obras seriam feitas segundo critérios outros nos quais a qualidade dos serviços não seja o mais importante mas apenas o preço. O que nos reporta para a noticia publicada no Jornal A Cidade de 19/04/2012, relativamente a um comentário do vereador presidente da CPI do asfalto:




“Repito para que ouçam minha voz: R$ 30 milhões jogados no lixo por esse asfalto “porco” e inadequado. Alguém tem que pagar”

Para tirar as dúvidas, o Movimento Pro Novo Aeroporto e o Movimento Pro Moradia e Cidadania deram entrada com um pedido de esclarecimentos técnicos à prefeitura, solicitando, entre outras informações, a planilha de custos. Se ela não fornecer estaremos na presença de crime de responsabilidade. E isso é muito grave.

No entanto, outro tema também passou despercebido pela imprensa ao noticiar os devaneios eleitoreiros da prefeitura:

Como podem ser feitas obras sobre a adequação do sistema viário por causa da ampliação do Leite Lopes, se a obra ainda não foi licenciada e nem mesmo tem um estudo técnico mas apenas palavrório eleitoreiro? 

Já estão convidando para comer o  galeto que vai nascer do ovo que a galinha, que ainda não nasceu, irá botar?

Precisamos de maior consistência nas noticias que são divulgadas. Nem precisamos de ser técnicos para avaliar essas incongruências. O simples bom senso basta. 

Mas se o problema do aeroporto para Ribeirão está na mão de políticos sem política pública, vamos reverter isso em Outubro.


Em 2012 não vote em político de 3ª Linha. Vote em estadista!

E, como

Povo esclarecido jamais será iludido


A alternativa cidadã para Ribeirão Preto é


Congonhas em Ribeirão Não!
O Leite Lopes fica como está. Novo aeroporto já!



quarta-feira, 18 de abril de 2012

CONVOCAÇÃO:

Todos ao Parque Maurilio Biagi, dia 22 às 15H00 para o

"Veta, Dilma"

Nos próximos dias o Congresso Nacional vai votar uma lei contra o meio ambiente, modificando o Código Florestal em vigor, para aumentar a capacidade de desmatamento pelo agronegócio predador a serviço de interesses meramente econômicos em prejuízo do futuro do Brasil e da sua biodiversidade e clima e que irá ampliar os acidentes naturais.

Não podemos permitir que essa lei seja aprovada. Vamos mostrar ao Congresso - como estamos mostrando para a nossa Câmara Municipal - que é o Povo quem mais ordena.  Vamos nos reunir no próximo domingo, 22/04/2012, às 15H00, no Parque Maurílio Biagi e mandar o recado.

sábado, 14 de abril de 2012

Aeroportos situados em áreas densamente povoadas : Acidentes aéreos freqüentemente ocorrem nas suas proximidades.


Acidentes aéreos comumente ocorrem próximos a aeroportos e aqui em Ribeirão Preto insistem em querer fazer uma ampliação tipo puxadinho no Aeroporto Leite Lopes,  que está em área densamente povoada.

Lembremos o aeroporto de Congonhas no tocante a riscos. Observemos os acidentes que estão acontecendo próximos a aeroportos, como os ocorridos recentemente nos EUA : um no supermercado e outro em cima de residências, todos em área urbana.

Aqui em Ribeirão querem nos impor aeronaves cargueiras operando numa pista curta (2100 metros) agravando o risco aeronáutico e o risco à Saúde Pública pela poluição sonora.

Até quando a miopia e a mediocridade vão imperar?   Até quando a população vai aguentar tal arrogância por parte de autoridades que deveriam zelar pela nossa segurança e não em garantir a rentabilidade imediatista de negócios?

Panelaço neles!

13/04/2012 18h31 - Atualizado em 13/04/2012 19h07

Queda de avião de pequeno porte mata duas pessoas em Franca, SP

 

Aeronave caiu em cafezal a cerca de dois quilômetros do aeroporto.


É o segundo acidente aéreo no interior do estado nesta sexta-feira.

Do G1 Ribeirão e Franca




Bombeiros e policiais militares periciam avião que
caiu em Franca, SP (Foto: Reprodução/EPTV)
Duas pessoas morreram na tarde desta sexta-feira (13) na queda de um avião monomotor num cafezal a aproximadamente dois quilômetros do Aeroporto de Franca(SP), de acordo com o subtenente Vanderlei Bispo, do Corpo de Bombeiros da cidade.
Segundo Bispo, o avião não explodiu, mas os dois homens que estavam a bordo não resistiram. Até as 18h22, os bombeiros trabalhavam no resgate dos corpos do piloto Fabiano Ferro e do empresário Cássio Ferrari.

Segundo

É o segundo acidente aéreo desta sexta-feira no interior do estado:
 no início da tarde, a queda de um avião deixou dois mortos em Itirapina (SP). Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave sobrevoava o balneário da Represa do Broa, quando caiu e explodiu.
De acordo com os bombeiros, o empresário do ramo de aviação Fernando de Arruda Botelho e Sérgio Luiz Robattino, piloto da Morro Vermelho Táxi Aéreo, morreram carbonizados com a queda.

Ainda segundo os bombeiros, o avião tinha acabado de decolar do aeródromo de Itirapina. Os destroços se espalharam por 200 metros. O comerciante Mário Ângelo Vieira, que mora próximo ao balneário, disse que foi possível perceber o momento da explosão da aeronave. “Apesar de ser um avião pequeno, da minha casa eu consegui ouvir o barulho da explosão” contou.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Entrevista com o arquiteto Rodrigo Faria


Abaixo link da gravação da entrevista do arquiteto Rodrigo Faria dada à Radio USP na qual tece considerações sobre o desenvolvimento regional de Ribeirão e o Aeroporto Internacional.


Rodrigo de Faria
Doutor em História
Professor do Departamento de Teoria e História
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - FAU/UnB
Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbaismo - PPGFAU/UnB

domingo, 8 de abril de 2012

Aeroportos situados em áreas densamente povoadas : Acidentes aéreos freqüentemente ocorrem nas suas proximidades.


01 - terça-feira, 3 de abril de 2012 14:29


Avião cai em supermercado e fere 5 na Flórida


Avião caiu logo após decolagem e deixou ao menos cinco feridos

De acordo com o sargento Chris Estes, do departamento da polícia, a queda da aeronave ocorreu às 19h20 no horário local (20h20 de Brasília), a menos de 3,2 km do aeroporto de Deland. A cidade fica 64 km ao norte de Orlando e o avião tinha acabado de decolar.

Segundo Estes, os três feridos em estado grave sofreram queimaduras. Dois são os ocupantes do bimotor e a terceira pessoa estava em terra.
A Administração Federal de Aviação investiga as causas do acidente.





02 - Sexta-feira, 6 de abril de 2012 

           Queda de jato em área residencial deixou sete feridos





Imagem de TV mostra bombeiros tentando controlar incêndio após colisão do F-18 com o prédio

WASHINGTON - Um caça americano F-18 caiu nesta sexta-feira (6) em uma região residencial de Virginia Beach (Virginia, leste), provocando importantes danos e seis feridos, segundo as primeiras informações fornecidas por equipes de socorro.

"Um F/A-18D do esquadrão 106 caiu em Virginia Beach", afirmou a Marinha americana em comunicado. A aeronave caiu às 12h05 locais (13h05 de Brasília) pouco depois de sua decolagem da base aeronaval de Oceana, situada a poucos quilômetros.

 Uma espessa nuvem de fumaça negra saía do local, e ao menos cinco edifícios de dois andares estavam em chamas, segundo imagens de emissoras americanas que mostravam os bombeiros tentando controlar o incêndio. Outras imagens mostravam os destroços do bimotor.

 Os dois pilotos conseguiram ejetar-se, afirmou à AFP o capitão de corveta Mike Kafka, um dos porta-vozes da Marinha, que completou que foram levados ao hospital local, onde permanecem em observação.

 Porta-vozes do Hospital Sentara Virginia Beach afirmaram que os dois pilotos estão sendo atendidos no pronto-socorro junto com outros quatro civis feridos. "Há duas pessoas atendidas por inalação de fumaça e uma já teve alta", disse à imprensa local a porta-voz Dale Gauding.

 O chefe dos bombeiros de Virginia Beach, Tim Riley, anunciou que até o momento não há informação sobre mortos ou desaparecidos. "Até onde sabemos não temos nenhuma confirmação de que haja feridos, mas houve danos importantes em cinco edifícios", disse à CNN.

 "Todos os edifícios estavam ocupados, mas por sorte não houve nenhum desaparecido, o que é um sinal positivo. Temos que avançar através de cinco edifícios gravemente danificados para fazer uma busca detalhada", completou, afirmando que os trabalhos levariam certo tempo.

 Testemunhas explicaram que o avião caiu bruscamente e que o vazamento de combustível pode ter aumentado a violência do fogo. "Os edifícios começaram a cair", disse Zack Zapatero à CNN. "Não vi ninguém correndo para fora, mas escutei que havia idosos que viviam nesses edifícios e isso me preocupa", completou.

 Outra testemunha, Jon Swain, disse à rede MSNBC que o avião caiu contra um conjunto de apartamentos. "Havia chamas saindo da parte de trás da aeronave", completou. O F-18 é o avião de caça da Marinha americana e está em serviço desde os anos 1980. O modelo foi vendido a diversos clientes estrangeiros.

 A aeronave acidentada pertence ao esquadrão 16 da base Oceana, um imenso complexo no qual trabalham 15.000 pessoas. O esquadrão 16 serve de "esquadrão de substituição" e sua missão é treinar os pilotos da Marinha.
   





quinta-feira, 5 de abril de 2012

A verdade veio à tona


ZANGAM-SE AS COMADRES, DESCOBREM-SE AS VERDADES.


Existe uma queda de braço entre duas facções políticas interessadas na ampliação do Leite Lopes para garantir a implantação de um terminal de cargas internacionais. Até algum tempo atrás, os governos Estadual  e Municipal trocavam juras de amizade eterna. Hoje estão envolvidos numa luta fratricida.

Conforme uma noticia publicada pelo jornal  GAZETA DE RIBEIRÃO do dia 04/04/2012,  o encontro que deveria ocorrer em S. Paulo para discutir quanto é que cada uma das partes deve investir para garantir o negócio Leite Lopes, tinha sido cancelado sumariamente pelo governo do estado:

A notícia do cancelamento não agradou a prefeita Dárcy Vera (PSD), que pressiona o governo Geraldo Alckmin (PSDB) para o início das obras antes da eleições municipais em outubro.

Pronto. A verdade veio à tona, de forma absolutamente nua e crua. O problema não é Ribeirão Preto e a sua necessidade de infraestrutura aeroportuária. A necessidade é simplesmente eleitoreira. Puro Marketing eleitoral.

E tem gente que continua defendendo esse delírio aeroportuário chamado Leite Lopes com puxadinho como se fosse uma obra indispensável para Ribeirão em lugar de lutar por um aeroporto decente para Ribeirão. 

Por isso continuamos sem aeroporto, porque o Leite Lopes não passa de um aeródromo ampliado.

Mas se o problema do aeroporto para Ribeirão está na mão de políticos sem política publica, vamos reverter isso em Outubro.


Em 2012 não vote em político de 3ª Linha. Vote em estadista!

E, como

Povo esclarecido jamais será iludido


A alternativa cidadã para Ribeirão Preto é


Congonhas em Ribeirão Não!
O Leite Lopes fica como está. Novo aeroporto já!




segunda-feira, 2 de abril de 2012

Saiu na imprensa



Vizinhos reclamam da ampliação do aeroporto Leite Lopes

Temos assistido ao longo de todos estes anos o apoio incondicional que a imprensa dedicou ao puxadinho Leite Lopes como sendo a única alternativa possível e escondendo da população a existência de oposição a esse ato insano, inclusive criando a ilusão de que se trata da internacionalização do aeroporto, com vôos para todo o resto do mundo, quando na verdade trata-se apenas da implantação, com o nosso dinheirinho, de um grande negócio de cargas internacionais, que não trará nenhum beneficio econômico para Ribeirão Preto e região. Nem mesmo um aumento significativo de empregos e muito menos empregos de qualidade, que a cidade precisa.

Contra o poder da mídia, sem nenhuma duvida muito poderosa, manipulando a opinião pública e promovendo uma campanha de convencimento à população do entorno, todo o poder econômico e de marketing político que está por trás dessa ideia do puxadinho, impede que se escutem as pessoas, impede o mais elementar ato democrático que consiste na discussão dos problemas  alicerçada no contraditório.

Torna-se, portanto, um ato ditatorial contra o qual as comunidades atingidas, dentro da qual,  aqueles que não se deixaram ser manipulados,  não têm nenhuma condição de reagir a não ser por meios mais artesanais, mas igualmente eficientes, como a simples pintura de um muro.

Um muro que representa um grito que expressa o clamor de toda uma comunidade contra um ato insano: a ampliação do Leite Lopes, em lugar de se construir o aeroporto que Ribeirão Preto merece e precisa.

Esse clamor não é um ato utópico de quem tem medo de fantasmas. Várias vezes a região tem sido atingida por pedaços de uma aviação privada e comercial com má conservação para economizar uns trocados. Outro dia, foi o farol de aproximação que caiu no Cemitério Bom Pastor, quase atingido um casal de idosos, conforme amplamente divulgado pela mídia.

Por isso, mente quem afirma que a comunidade não corre risco aeronáutico com a ampliação do Leite Lopes que já deveria ter sido relocado em 1995 quando a sociedade civil, o poder executivo e o poder legislativo, todos unidos e de forma unânime, assim o exigiram quando se discutiu, elaborou e se aprovou  a Lei do Plano Diretor.

Tudo o que já foi gasto no Leite Lopes através de remendos, na tentativa de transformar aquele estropício num aeroporto, mais o que eles querem gastar agora só para fazer a ampliação-puxadinho, além da reconstrução da torre, mais isto e mais aquilo, daria para construir um aeroporto novo, em local adequado e em condições de servir de portal de entrada digno para a nossa região.

Também defendemos que um novo uso alternativo para o Leite Lopes, ao invés do Puxadinho, evitaria as desapropriações das comunidades do entorno que já têm suas raízes estabelecidas, face à nova configuração do zoneamento de ruídos que o Leite Lopes teria que ter.  

Por isso o jornal A CIDADE  está de parabéns por ter noticiado, no dia 31/03/2012, duas coisas importantíssimas: que existe um movimento contra a ampliação do Leite Lopes e que luta pela construção de um novo aeroporto e o medo, legitimo e comprovado pelos fatos,  que a comunidade do entorno ao Leite Lopes tem pelas operações desse aeroporto.

Vizinhos reclamam da ampliação do aeroporto Leite Lopes

Jornal  A Cidade Sexta, 30 de Março de 2012 - 22h57
Editorias \ Cidades

Família pinta muro para alertar autorizadas sobre preocupação com tamanho da pista e segurança na área

Wesley Alcântara


Moradores do Jardim Aeroporto, zona Norte de Ribeirão Preto, fizeram um manifesto diferente contra a ampliação do aeroporto Leite Lopes. Eles pintaram muros reclamando da infraestrutura do aeroporto e também da segurança dos moradores da área.
O protesto ganhou adesão de outros moradores do bairro e até o apoio do Movimento Pró Novo Aeroporto de Ribeirão e Região.
No muro constam as frases "Congonhas em Ribeirão Não!" e "Ampliar com pista curta é maior o risco de acidentes".